17Agosto2017

Notícias
Saúde Camila Queiroz investe em tratamentos estéticos para manter corpo em forma

Camila Queiroz investe em tratamentos estéticos para manter corpo em forma

  • PDF

5261272-0-246110

 Beyoncé, Madonna, Rihanna, Jennifer Lopez, Lady Gaga. Enquanto algumas mulheres assistem às apresentações dessas e de outras cantoras da música pop e tentam imitar, mesmo que desengonçadamente alguns dos passos, outras ficam hipnotizadas pelas coreografias e acreditam que jamais conseguirão fazer igual.

 Se enxergou em alguma dessas situações? Saiba que é possível aprender a dançar como uma diva e, ao mesmo tempo, queimar entre 400 a 1500 calorias por aula.

 Esse é o objetivo de dois projetos que acontecem no eixo Rio-São Paulo. Na capital paulista, uma balada na rua Augusta é o cenário das aulas de "Club Workout" [algo como malhar dentro de uma boate], inspiradas no "Twerk", uma dança onde a maioria dos movimentos são feitos com os quadris e por meio de agachamentos.

 As cariocas, por outro lado, podem se divertir malhando nas aulas de "Dance Clip", da academia Bodytech, onde exercícios aeróbicos se misturam com as coreografias dos videoclipes mais bombados dessas artistas.

 "O "Club Workout" nada mais é do que uma aula de fitness e o que não faltam são movimentos aeróbicos. Baseada na dança sensual "Twerk", com surgimento creditado a Jamaica e também a Nova Orleans (EUA), se popularizou depois de uma apresentação da cantora Miley Cyrus durante a premiação da música americana VMA (Video Music Awards) em 2013", detalha Mariana Leis, idealizadora do projeto Club Workout.

 Enquanto isso, as aulas inspiradas nos videoclipes das estrelas da música surgiram a partir de uma demanda das próprias alunas do educador físico Justin Neto.

 "Elas chegavam às aulas comentando sobre os clipes dançantes da Beyoncé, do Bruno Mars e de outros artistas. Eu, que sempre gostei de musicais, acreditei que dava para unir essas duas áreas somadas as minhas técnicas de educador físico e fazê-las se movimentar de maneira segura, sem torções e lesões", explica.

 Além de ensinar a dançar como uma diva, os projetos têm outro objetivo em comum: melhorar a autoestima dessas mulheres.
"Almejávamos trabalhar com algo que as elevasse, pudesse aflorar a sensualidade para que saíssem das aulas se sentindo poderosas", comenta Mariana. "A dança é um estímulo para se conhecerem mais, se olharem no espelho e perceberem como são bonitas e podem ser desinibidas", comenta Justin.

 

Artigos Relacionados:

Rede Social Embaixo

Newsletter

Receba as novidades do Portal Costa Esmeralda Online em seu email.